Pular para o conteúdo principal

Acidente de Trânsito

Acidentes de trânsito causam milhares de mortes todos os anos nas estradas do país. Por fatores diversos, que passam pelas condições das estradas, condições de tempo, problemas técnicos e falha humana, o país tem o maior número de vítimas de acidentes de trânsito do mundo.
Quem trabalha com o transporte e entrega de cargas convive diariamente com esse cenário e todo cuidado é pouco. Muitos acidentes independem do planejamento logístico e da precaução da transportadora, bem como da conduta de seus funcionários. Os riscos são incontestáveis, mas é extremamente possível e viável minimizar os prejuízos de sua empresa com ações provenientes de acidentes de trânsito. Por isso poder contar com uma assessoria jurídica especializada pode fazer toda a diferença.
É justamente esse serviço que a Vellasco Advocacia e Consultoria Jurídica oferece. Com vasta experiência em ações judiciais de acidentes de trânsito e amplo conhecimento jurisprudencial, a Vellasco oferece suporte jurídico completo com foco em Direito de Trânsito e Responsabilidade Civil.
Nosso escritório trabalha na intermediação junto às seguradoras para liquidação das demandas judiciais, visando diminuir os valores pagos pelo cliente. Contando com uma assessoria jurídica especializada, sua empresa terá mais segurança para lidar com ações desse tipo, além do custo-benefício, já que o retorno com certeza será maior que o investimento na contratação de nossos serviços.
Nosso trabalho consiste em:
– Análise de pleitos e Elaboração de defesas;
– Realização de audiências;
– Elaboração de pareceres e avaliações dos riscos e de possibilidades de êxito nas demandas judiciais;
– Acompanhamento de processo cível (contencioso) e processo criminal de lesão corporal; – Intermediação entre seguradora e segurado para negociação e realização de acordos, especialmente em casos em que o cliente é responsável pelo acidente;
– Consultoria e implantação de ações para solucionar conflitos de interesse e minimizar valores.
Se sua empresa já possui um departamento jurídico próprio, oferecemos um programa de controle dos procedimentos administrativos e judiciais. Analisamos cada caso que nos é apresentado, fazemos um diagnóstico e definimos, junto à sua empresa, a melhor estratégia para a solução do caso.
Contato:
WhatsApp – 55 (19) 99693-3469
E-mail –  contato@vellasco.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

STJ aprova sumula 405 pacificando o entendimento sobre o prazo prescricional de 3 anos para demanda do seguro DPVAT.

Súmula da Segunda Seção trata do prazo prescricional de 3 anos para pedir a indenização do seguro DPVAT na Justiça Em decisão unânime, a Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça aprovou mais uma súmula. O verbete de nº 405 trata do prazo para entrar com ação judicial cobrando o DPVAT. A nova súmula recebeu a seguinte redação: A ação de cobrança do seguro obrigatório (DPVAT) prescreve em três anos. No precedente mais recente a embasar a nova súmula, os ministros da Seção concluíram que o DPVAT (seguro obrigatório de danos pessoais causados por veículos automotores de vias terrestres) tem caráter de seguro de responsabilidade civil, dessa forma a ação de cobrança de beneficiário da cobertura prescreve em três anos. O relator, ministro Luis Felipe Salomão, votou no sentido que o DPVAT teria finalidade eminentemente social, de garantia de compensação pelos danos pessoais de vítimas de acidentes com veículos automotores. Por isso, diferentemente dos seguros de responsab…

TJMG – Montadora indeniza consumidor por defeito em carro.

Empresa não solucionou problema de embreagem em veículo zero quilômetro. A montadora de automóveis F. C. terá que indenizar um consumidor em R$ 15 mil, por danos morais, por um defeito não solucionável em um carro zero quilômetro. A empresa também terá de ressarcir o proprietário, por danos materiais, em valor a ser apurado em liquidação de sentença. A decisão é da 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e confirmou sentença da 22ª Vara Cível de Belo Horizonte. O consumidor ajuizou ação contra a montadora. Ele alegou que em 17 de janeiro de 2012 adquiriu um veículo zero quilômetro da empresa. Em março o carro apresentou problemas, entre eles, “trepidação na embreagem”, que culminou com a troca do conjunto em junho, quando o veículo contava apenas 14.634 quilômetros rodados. Apesar dos reparos, a embreagem continuou a trepidar, obrigando-o a retornar à rede de concessionárias. Como nada foi resolvido na ocasião, ele decidiu propor a ação judicial. A mont…